Terça-feira, 10 de Janeiro de 2006

Para bom entendedor...

Não estou a conseguir continuar…está na altura de voltar a acreditar em tudo o que sempre acreditei, é agora a altura em que te “largo” para não mais voltar a ter-te, o segundo em que percebo que as horas não avançam, que os dias trancaram num desassossego que só me angustia, que estou perdida num desalento que não tento combater.

E pronto…escrevo estas coisas e tento forçosamente concentrar-me nelas, realizá-las em acções, assimilar que são verdade e transformá-las numa realidade patética de tão falsa que seria.
Este texto é somente assim…a demonstração de como se pode estar exausto e ao mesmo tempo repleto de energia para reinventar formas de continuar à espera que nada seja como sabemos que é!!!


Inventado por alexiaa às 15:07
link do post | favorito
De Anónimo a 11 de Janeiro de 2006 às 12:54
Estupefacto, esmagado pelo saber contido nos comentários, não deixo de me questionar se não se levam os conteúdos demasiado à letra. Por exemplo: há objecto a quem o blog se dirija? Se não, é um simples exercício de catarse, e não tem que fazer sentido, como quem, por exemplo da moda, escreve na figura de um homossexual nunca o tendo sido. Há alguém de quem se lamente a perda, de quem se cante a existência e virtude? Se não, há o lamento de não sentir a dor “que deveras sente”. Resumo: os sentimentos sem aplicabilidade são abstractos, não devendo ser levados demasiado a sério. “Sofremos muito com o pouco que nos falta e gozamos pouco o muito que temos”… mas por quem sois, continuai a comentar…Miguel Antunes
</a>
(mailto:miguel.ribeiro.antunes@hotmail.com)


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


O minimo sobre mim


ver perfil

. 11 seguidores

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Estas são as Ultimas

Aos sonhos que vão diminu...

Even...

Revivendo uma invenção!

Quase por encomenda...:))...

Tenho pena de não ter mem...

Não me ames…ambiciona-me!