Quarta-feira, 3 de Outubro de 2007

Estou farta é como quem diz…

Foste daqui e contigo sumiu do meu olhar um brilho cintilante!
Perco-me agora numa visão desabitada, numa sensação imensa de solidão, numa procura desesperada duma razão…
Escorregaste-me por entre os dedos que estavam sempre embebidos duma sofreguidão insaciável.
Tacteio hoje um corpo invisível, esbracejo incansável em busca do teu abraço quente…
Ensurdeci no dia em que desapareceu a melodia da tua voz!
Porque a ninguém depois de ti será permitido cantar-me, adoçar-me os sentidos agora perdidos numa maldita surdez…
Extorquiste me uma sensibilidade perfumada no dia que partiste!
Resta-me a saudade dos dias que te consumia com o cheiro, a dor que é ter que recolher odores espalhados…
 
Nesta ausência mais que assumida, o tempo as vezes contraria a necessidade que tenho de recordar, ou porque corre velozmente atropelando alguns flashs momentâneos ou porque pára obstinado numa memória dolorosa impedindo um suspiro ansiado!
E estou farta…de lidar com um amor estranho de tão sozinho, de sofrer por alguém que egoisticamente foi impedido pelo destino de me dar a mão para sempre!
 

Inventado por alexiaa às 18:22
link do post | favorito
De V.A.D. a 4 de Outubro de 2007 às 01:59
Os sentidos sofrem, todos eles... Uma magnífica descrição do que a saudade pode gerar; uma forma singular de expressar a dor da ausência...

Um beijo...


De alexiaa a 10 de Outubro de 2007 às 00:13
E ainda não me viste numa forma plural:)).
Bem...de facto não ha sentido que escape ileso numa ausência dorida mas a verdade é que isso tambem não acontece numa presença terna...

Beijo!


Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


O minimo sobre mim


ver perfil

. 11 seguidores

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Estas são as Ultimas

Aos sonhos que vão diminu...

Even...

Revivendo uma invenção!

Quase por encomenda...:))...

Tenho pena de não ter mem...

Não me ames…ambiciona-me!