Sábado, 18 de Agosto de 2007

Titulo citado: Regurgitando palavras!

As vezes fico atordoada com os problemas dos outros.
Vidas enredadas em dificuldades duma simplicidade incoerente, dramas exacerbados por mentes complexas, complicações provocadas por falta de descontracção.
Olho à minha volta e incomoda-me a ruga na testa que me surge sempre que observo alguém ser arredia perante um gesto de espontaneidade, sempre que vejo os outros constantemente de pé atrás com a vida, sempre que pressinto pessoas desconfiadas com o dia seguinte sem motivo para tal!
Sei que há obstáculos duros, azares incontornáveis e contratempos inesperados mas sei também que há pessoas pouco gratas e rezingonas, alminhas que nos sugam a vivacidade e da quais deveríamos ter o bom senso de eliminar do nosso dia a dia!
Existe uma estirpe de deprimentes que teima em orbitar ao meu redor alimentando-se dum desaire ocasional, regozijando-se com um período menos favorável, insistindo em ensombrar a minha decisão assumida de ser uma não te rales hoje, de protelar a preocupação para…quando já não existir outra solução!
Hoje estou abespinhada com a complexidade de criaturas que não respeitam a minha total indiferença pelo lado sério da vida porque hoje, neste exacto momento não quero nem saber de gravidades, não estou nem aí para ralações, não me interessa nem um pouco juízos de valor sobre a minha aparente ou não futilidade!
 
 Ok, estou numa fase simplista, os meus reais problemas prendem-se com o melhor horário para arranjar as mãos, a minha dificuldade maior é conjugar solário com a caipirinha ao fim da tarde, a minha grande duvida é entre a rádio romântica e a orbital (fase kitsch).
Sim, estou numa altura difícil do mês onde por muito que tente não penso e onde a minha grande convicção é que a maquina que tira imperiais é bem mais útil que o famoso robô de cozinha que anda na boca do povo, que o vodka caramelo é a grande invenção do século, que o cor de rosa calhou e que vou tratar este atordoamento com um liffting revolucionário!
 
música: Para o homem do leme:)

Inventado por alexiaa às 18:31
link do post | favorito
De pedro alex a 19 de Agosto de 2007 às 21:09
Xutos,
Imagino uma princesa a dançar Xutos. Este ano já os dancei ao vivo. Como eles, estoirei naquele momento para sempre. Estoiro sempre que posso, os problemas dos outros vão para a fogueira e abraço quem estiver ao lado.
Ya Xutos...
Gostava de abraçar a tua fase simplista, no entanto, por opção, apetece-me rebuscar. Ando tão rebuscado que terminei um longo casamento com a Super Bock para me deixar amantizar pela Sagres.
Gosto da tua maneira, Princesa, da tua forma, feitio e formato, a qualquer dia, a qualquer hora.
Xutos...
Xuta a estirpe indesejada, se bem que duvide da capacidade dos Xutos para esse efeito e afirme como "vero" o antibiótico "par de estalos".
Xutos...
És danadinha Princesa, como queres que te comente conveniente a ouvir Xutos...
BV i.e. não confundir bombeiros voluntários com beijos vermelhíssimos.


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


O minimo sobre mim


ver perfil

. 11 seguidores

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Estas são as Ultimas

Aos sonhos que vão diminu...

Even...

Revivendo uma invenção!

Quase por encomenda...:))...

Tenho pena de não ter mem...

Não me ames…ambiciona-me!