Quinta-feira, 9 de Abril de 2009

Revivendo uma invenção!

 

Nunca precisei de te consumir para te conhecer.

Durante o nosso tempo, aquele que me foi milagrosamente concedido pelo destino, usufrui-te embevecida, apaixonei-me naturalmente e vivi aqueles tempos com uma fé verdadeiramente ingénua. Admito que a certa altura a ansiedade tomou conta de mim, de nós, porque sempre me senti retribuída, mas a vontade de transpor o encantamento para o amor é o que ainda hoje me faz sentir esta espécie de frustração, esta dor por não saber de cor todas as tuas palavras, as lágrimas que não contenho sempre que te pressinto só, a náusea que me sufoca nos dias em que admito nunca mais poder sentir a tua convicção!
Querer saber de ti é uma constante na minha vida.
Interiorizar que isso não é mais possível é dor que transparece nas minhas atitudes.
Ansiar por encher este vazio é um aperto insuportável, uma incapacidade de viver em pleno emoções novas, o pavor de perder uma entrega nova!
As vezes fecho os olhos e vejo-te com asas…abençoando as minhas desajeitadas tentativas, incentivando-me a não desistir, amparando-me sempre que “desmaio”!
Muitas vezes a insanidade é tal que me sinto tentada a revelar o que um dia te segredei, a “mostrar-te” o tanto que aprendi…
Não…não é assim tão simples, até porque nunca precisei que me consumisses para saberes exactamente quem eu sou!
 
 
música: Rufus Wainwright, not ready to love

Inventado por alexiaa às 20:20
link do post | comentar | favorito
15 comentários:
De z_karlos a 11 de Abril de 2009 às 17:21
É realmente fantastica a forma como te exprimes


De alexiaa a 15 de Abril de 2009 às 15:08
Não é???:)))


De oteudoceolhar a 16 de Abril de 2009 às 13:51
AMEI...amei a profundidade que senti nas palavras..."Durante o nosso tempo, aquele que me foi milagrosamente concedido pelo destino, usufrui-te embevecida, apaixonei-me naturalmente e vivi aqueles tempos com uma fé verdadeiramente ingénua.". Espero que esteja tudo bem contigo...hoje rumo lá para aquele cantinho do mundo tão especial, mando saudades tuas ao nosso mar ;). Beijinho n´oteudocoelhar


De alexiaa a 29 de Abril de 2009 às 16:02
Comigo esta tudo bem:), espero que tu e o teu principe tb estejam bem!
Ai o cantinho...brevemente vou lá tb e confirmo com o mar se deste mesmo o recado:))
Beijinho!


De Su a 16 de Abril de 2009 às 21:01
"Nunca precisei de te consumir para te conhecer. "

Bolas mulher, roubas-me as palavras e depois fico praqui a pensar que nunca precisei de te consumir para te conhecer... de qualquer modo, chego em Maio, no auge da primavera, vai dai, prepara-te!

:)

beijoka laroka



De alexiaa a 29 de Abril de 2009 às 16:03
Preparo-me para ser consumida???:))) mau, depois as más linguas:)))) ficam carregadinhas de inveja:))

Ti aguardo tá???:)

Beijo


De ampulhetas1 a 19 de Abril de 2009 às 01:05
só porque somos básicamente feitos de medo....

gostei de te ler


De alexiaa a 29 de Abril de 2009 às 16:06
Para te ser sincera o meu material é mais a mentira:))

Beijinho acetinado que ali a su inspirou me à promiscuidade feminina:)))


De xana a 28 de Abril de 2009 às 21:41
só me está a apetecer dizer disparates..

olha, bjo


De alexiaa a 29 de Abril de 2009 às 16:06
Não gosto nada qd te inibes:))))

Olha, outro


De teresa a 30 de Abril de 2009 às 00:22
eu consimi-me ... muito.... :) não sei se me arrependo..apesar de tudo acho que não...

obrigada pelos teus comentários


De alexiaa a 30 de Abril de 2009 às 01:38
Eu ca acho que o arrependimento é util:))) principalmnete qd ja se consumiu até à exaustão:))

di nada!


De cúmplice a 7 de Maio de 2009 às 00:47
Boa noite!

A razão que me leva a comentar este texto e não qualquer outros é simplesmente, porque me identifico muito com ele (texto)… Também já passei por uma experiência muito idêntica, por vezes ao longo da nossa vida cruzamo-nos com pessoas fantásticas, que conseguem chegar a nós de uma forma extraordinária, sem sequer precisarem de nos “consumir”... Dão-nos quase tudo… fazem-nos sonhar, enchem-nos de emoções, fazem-nos duvidar, questionar e estão sempre lá para nos dar a mão quando nos sentimos a desfalecer… quase que se torna inevitável não nos apaixonarmos e querermos mais e mais e mais!
O pior vem, quando começamos a questionar esse “tempo” que nos foi milagrosamente concedido… e os segundos vão passando, arrastando atrás de si minutos que se transformam em horas, estas em dias/meses/anos e quando nos damos conta nada mais será como era... mesmo que permaneça para sempre aquele querer, aquele porque?!?!?!
Pessoas como estas devem de ser (e são) guardadas, num lugar só nosso, pois quando menos esperamos, quando nos sentimos a “desmaiar”, elas estarão lá para nos amparar!

Obrigada/o por me teres feito viajar num tempo, que confesso-te, que me dói recordar por ter sido tão bom quanto especial… pois a minha paixão ficará para sempre e nada nem ninguém irá arrancar! Até hoje (tal como tu dizes), querer saber (dessa pessoa) é uma constante na minha vida… Olhar, sentir, recordar dói, porque sei que já lhe pertenci um dia… sem sequer o saber!!!!

Beijos salgados (pois uma lágrima escorre…)



De alexiaa a 7 de Maio de 2009 às 09:12
A razão que te leva a comentar este texto em particular é a razão porque hoje acordei com as galinhas:)))
Bem....sabes o que as vezes torna as coisas tão especiais?! É a plataforma em que as deixamos, uma especie de degrau acima do resto do planeta e que nos permite flutuar sempre que pensamos na nossa quimera secreta:).
Enfim...tenho pena que só apareças qd te identificas, adoro ser contrariada:))
Beijo doce para o sal não te amargar as lembranças!


De piatti tipici spagnoli a 5 de Janeiro de 2011 às 14:44
Parabéns pelo seu blog, muito interessante. Estou estudando Português, eu não consigo entender tudo, mas quase! ;)


Comentar sem frete

O minimo sobre mim


ver perfil

. 11 seguidores

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Estas são as Ultimas

Aos sonhos que vão diminu...

Even...

Revivendo uma invenção!

Quase por encomenda...:))...

Tenho pena de não ter mem...

Não me ames…ambiciona-me!

Colocado em finais de Abril de 2006

Free Web Counter
hit Counter