Segunda-feira, 31 de Julho de 2006

Qual é a palavra, qual é ela?!!!

Hoje é daquelas noites em que estou apreensiva!
Não necessito de bases sólidas para argumentar, são raras as vezes em que sou coerente e se calhar por isso não encontro agora uma justificação para esta minha apreensão.
No entanto e ainda no inicio do que escrevo dou comigo a fazer um esforço e não evito um sorriso meio irónico porque me sinto hipócrita!
A convicção que este narizito vai eternamente manter-se empinado às vezes desaba e o raciocínio entrelaça-se com a emoção instalando dúvidas atrás de dúvidas!
Se calhar tenho medo. Se calhar há uma palavra que nego para a minha vida mas que se instalou sorrateiramente e tende esporadicamente a pavonear-se grotescamente tentando-me a descer do pedestal!
Mas a tentação também está na minha mente emaranhada com o desencanto e a vontade súbita de baixar os braços é sempre castrada com os pensamentos lógicos que não me abandonam.
Não nego, hoje balanço com o desconcerto que sinto por desejar combater o isolamento mas no fim sei que tudo vai terminar da forma que termina sempre, vou reiterar as verdades que assumi como indestrutíveis e nem o medo da tal palavrinha vai evitar a minha “fidelidade”!
 

Inventado por alexiaa às 19:12
link do post | comentar | favorito
10 comentários:
De Araj a 31 de Julho de 2006 às 22:40
Com este post fizeste-me lembrar uma pessoa que está cá dentro... o que se instala sorrateiramente acabará por mais dias menos dia apoderar-se de ti...


De kiss a 1 de Agosto de 2006 às 01:26
Para quê as letrinhas azuis? As brancas, onde se esconde a palavrinha, ganham ao 7º parágrafo por força dela (da palavrinha, pressupuesto).

Bjs


De alexiaa a 1 de Agosto de 2006 às 11:10
E não é que até acho que tens razão? Acho mesmo que as letras azuis não estão ali a fazer nada porque quem não entende...paciência!
Assim sendo...olha, vou apagá-las:), porque eu quando dou razão a alguem...dou até ao fim:))
Beijos


De Xana a 1 de Agosto de 2006 às 01:41
Será que somos mais que homónimas?!


De igara a 1 de Agosto de 2006 às 09:46
Alexia, hoje com algum tempo, decidi que não podia passar mais tempo sem que te lesse e cometasse. E parei neste texto, o ultimo (mas li todos os outros com afinco). Não imagino que palavra seja, mas depois de te ter lido algumas vezes, achei que podiam ser duas "amo-te" e "adeus". Mas eu também tenho uma mente retorcida, e se eventualmente tiveres propostas de algum psicólogo jeitoso, agradeço-te que me cedas o contacto, lol...
Sabes Alexia, já sentia mesmo a falta de te ler. Fazes-me bem...

Beijos mansinhos, e abraços apertadinhos :)


De Su a 2 de Agosto de 2006 às 19:46
:) como sempre segui-te até ao fim, e mesmo ao virar da esquina, dei por mim a n te ver!
Perdi-te outra vez!

Mas, ok, eu volto!

Bejo!


De PM a 6 de Agosto de 2006 às 19:42
passei só para ver se estava tudo bem ......


De www.sonhadorainata.blogspot.com a 9 de Agosto de 2006 às 17:03
... "Tudo vai terminar da forma como termina sempre...?" E se não terminar? Vais negar essa certeza a ti própria...? Medo das palavras ou das consequências dos actos..? Pensei entender-te, à minha maneira... Continuas "fiél" à profundidade dos sentimentos, tal qual eu gosto de ti... :) Um beijo grande.


De Essa Miuda a 9 de Agosto de 2006 às 17:05
Bolas ... era eu ... a Essa (caso não tenhas percebido..)


De Mel de Carvalho a 11 de Agosto de 2006 às 18:42
A imagem ... Paz. Descanso! O Sertão ... O calor dos afectos ... Não temas as palavras, quando forem ditadas pelo teu "Eu" interior... Solta-as, que outros podem depender delas para não se afundarem na tristeza...

Um extracto de um poema de MagiadeMel , Punção da Paz!
"Fecho os olhos, aprendo a ver, ver o pleno, na escuridão…
Aprendo, por ti, a ver mais fundo, de olhos vendados a luz do Mundo.
Aprendo a ver, por uma fresta, mais que a árvore, toda a floresta!
Que melhor trabalha o cérebro, inebriado nos fumos desta punção
Embevecido, arrebatado nesta labiríntica imaginação que em algum lugar
Existe… existe para mim, e que de mim és a chama, a chama eterna!"

Paz, Alexia .
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

A imagem ... Paz. Descanso! O Sertão ... O calor dos afectos ... Não temas as palavras, quando forem ditadas pelo teu "Eu" interior... Solta-as, que outros podem depender delas para não se afundarem na tristeza... <BR><BR>Um extracto de um poema de MagiadeMel , Punção da Paz! <BR>"Fecho os olhos, aprendo a ver, ver o pleno, na escuridão… <BR>Aprendo, por ti, a ver mais fundo, de olhos vendados a luz do Mundo. <BR>Aprendo a ver, por uma fresta, mais que a árvore, toda a floresta! <BR>Que melhor trabalha o cérebro, inebriado nos fumos desta punção <BR>Embevecido, arrebatado nesta labiríntica imaginação que em algum lugar <BR>Existe… existe para mim, e que de mim és a chama, a chama eterna!" <BR><BR>Paz, Alexia . <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Bj</A> da MagiadeMel


Comentar sem frete

O minimo sobre mim

Estas são as Ultimas

Aos sonhos que vão diminu...

Even...

Revivendo uma invenção!

Quase por encomenda...:))...

Tenho pena de não ter mem...

Não me ames…ambiciona-me!

(Re)Invenções antigas

Setembro 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Colocado em finais de Abril de 2006

Free Web Counter
hit Counter