Quinta-feira, 30 de Abril de 2009

Even...

 

 
Agito-me incomodada com um ligeiro calor.
A ansiedade é irritante e constante, rebelde e incontornável.
Na boca e porque te amo o sabor é de mel. Espesso…quente e macio!
Movimento-me sem norte e praguejo ameaças inconsequentes.
A falta de ar é inevitável e angustiante, inconveniente e lancinante.
O mel do tanto que te amo amacia-me a garganta. Denso ainda, morno apenas, docemente adequado!
 
Decido ser tal como sou…informo-te!
Decides ser tal como és…
 
Abrando amolecida com um ténue desanimo.
A tristeza é mais que um momento, profetiza e oculta.
Na boca e porque o amor permanece, o sabor do mel resiste. Aguado…frio e áspero!
Deito-me no escuro e prometo consciente uma distancia sem truques.
Respiro aliviada, suspiro esperançada e aquietada.
Esforço-me por fazer deslizar esta forma de amar. Amarga, gela-me os sentidos, arranha o imaculado!
 
 
À  Alexandra, que tal como eu adora um bom...Even:).
 
 
 
 
música: Alexandra...leaving!

Inventado por alexiaa às 01:15
link do post | comentar | ler comentários (8) | favorito
Quinta-feira, 9 de Abril de 2009

Revivendo uma invenção!

 

Nunca precisei de te consumir para te conhecer.

Durante o nosso tempo, aquele que me foi milagrosamente concedido pelo destino, usufrui-te embevecida, apaixonei-me naturalmente e vivi aqueles tempos com uma fé verdadeiramente ingénua. Admito que a certa altura a ansiedade tomou conta de mim, de nós, porque sempre me senti retribuída, mas a vontade de transpor o encantamento para o amor é o que ainda hoje me faz sentir esta espécie de frustração, esta dor por não saber de cor todas as tuas palavras, as lágrimas que não contenho sempre que te pressinto só, a náusea que me sufoca nos dias em que admito nunca mais poder sentir a tua convicção!
Querer saber de ti é uma constante na minha vida.
Interiorizar que isso não é mais possível é dor que transparece nas minhas atitudes.
Ansiar por encher este vazio é um aperto insuportável, uma incapacidade de viver em pleno emoções novas, o pavor de perder uma entrega nova!
As vezes fecho os olhos e vejo-te com asas…abençoando as minhas desajeitadas tentativas, incentivando-me a não desistir, amparando-me sempre que “desmaio”!
Muitas vezes a insanidade é tal que me sinto tentada a revelar o que um dia te segredei, a “mostrar-te” o tanto que aprendi…
Não…não é assim tão simples, até porque nunca precisei que me consumisses para saberes exactamente quem eu sou!
 
 
música: Rufus Wainwright, not ready to love

Inventado por alexiaa às 20:20
link do post | comentar | ler comentários (15) | favorito

O minimo sobre mim


ver perfil

. 11 seguidores

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Estas são as Ultimas

Aos sonhos que vão diminu...

Even...

Revivendo uma invenção!

Quase por encomenda...:))...

Tenho pena de não ter mem...

Não me ames…ambiciona-me!

Colocado em finais de Abril de 2006

Free Web Counter
hit Counter