Domingo, 22 de Julho de 2007

Enquanto que não chega o próximo…que me sinta iluminada!

(O texto está desactualizado mas como tudo o que escrevo foi imediato e a eito, é assim que funciono e não me passa pela cabeça guardar este tipo de imprevistos!)
 
 
Nem sei se inicie este novo ano de existência enlevada num passado prometedor com crises esporádicas duma maldade atroz e gelada ou se o encete de forma decidida envolta numa personagem confortável que me faz disparar em várias direcções um comportamento destabilizador e aparentemente promíscuo!
 
A verdade é que estou lixada por ter amigos!
A verdade é que estou lixada por te ter conhecido e me ter permitido amolecer uma carapaça indestrutível.
A verdade é que estou completamente lixada por sentir esta necessidade de te escrever sabendo de antemão que nunca me poderás ler!
A verdade é que estou completamente lixada por saber que não estou sozinha apesar da tua ausência!
 
Bem…é inevitável passar o dia de hoje sem lembrar uma aranha que deslizava numa rampa íngreme, um bibe fresco e leve, uns pés sempre descalços numa terra de cheiros fantásticos que ainda hoje sinto!
Seguiu-se uma pré adolescência a duas que rapidamente esqueci com o regresso do três, o meu três surpreendentemente barbudo, maravilhosamente ansioso, perfeitamente presente numa puberdade passional mas muito risonha!
E por ali andei até casar! Casar por amor e receber o meu quatro com toda esta intensidade típica!
Acabou nesta fase o meu…chegou a nossa primeira e sem hesitação afianço que chegaram também os dias mais felizes da minha vida!
Lembro umas ferias lindas...
Chegou o nosso segundo, o nosso terceiro!
E o nosso passou a deles. E foi deles que “fugiu” a hipótese duma infância mais rica com um avô exemplar, e foi de nós que desapareceu a presença dum amigo sincero, foi de mim que voaram uns braços constantemente perto, uma atitude deliciosamente permissiva, um mimo docemente excessivo!
Divorciei-me!
Fiz trinta e tal, fiz trinta e tal, fiz trinta e tal, faço trinta e tal!
O que se passou quando fiz os trinta e tal??? Uiiiiiii…
Namorei muito, bebi mais ainda, agitei por aí e inventei o amor!
Namorei alguém, bebi algumas, asneirei por aí e reinventei-te amor!
 
A verdade é que estou lixada por fazer trinta e tal!!!
A verdade é que hoje à noite vou deitar-me contigo naquela rede!
 
(E façam-me o favor de não tirar ilações descabidas. Não sofri uma ruptura difícil, não amo o meu ex marido, não sofro por não ser correspondida e não ando com pachorra para mails lamechas!)
 

Inventado por alexiaa às 21:05
link do post | comentar | ler comentários (67) | favorito
Terça-feira, 17 de Julho de 2007

Dos pirilampos platónicos à...masturbação?!

Procuro saber se sentes falta do meu toque, aquele que dizias desorientar-te de forma perturbadora.

Desespero por adivinhar quanto te dói a falta do meu cheiro, aquele que te arreliava por considerares um vício.
Choro pela certeza da dor que causa a ausência das minhas palavras, aquelas que te deslumbravam pela impulsividade.
 
E…
 
Revejo uma noite específica.
Imagino o teu abraço quente, os teus lábios densos no meu pescoço, as tuas mãos doces a levantar-me o cabelo e a beijar-me a nuca muito lentamente...os meus olhos fechados à espera de mais…e tu a dares sempre mais, sempre mais…
Sinto o beijo especial que sempre fiz questão de te entregar, aquele beijo vagaroso de inicio, apaixonado a meio e desorientado no fim, aquele onde sussurrava o quanto inexplicavelmente eras o meu amor...és o meu amor!
Respiro cheiros dolorosamente sensuais, desconcertantemente familiares, transpirados e excitados, impelindo o nosso desejo a modificar-se de forma vertiginosa!
Escuto-te ofegante pedindo com meiguice que me entregue por inteiro, provocando-me gemidos apressados e, incitando-me ao descontrole.
E os teus dedos percorrem-me o corpo de cor e salteado surpreendendo-me a cada instante. Não me contrario e obrigo-te a parar a meio pressionando-te o pulso para que não saias dali…
Ufa…
É difícil fazer amor contigo. Exiges de mim uma concentração agora que me deixa pouco espaço para o prazer!
 

Inventado por alexiaa às 19:04
link do post | comentar | ler comentários (28) | favorito
Domingo, 15 de Julho de 2007

Pirilampos II :)

Sim…resumi demais a serra porque só tive olhos para ti, omiti o medo do escuro porque no fundo te sabia ali, esqueci de referir a tua tolice porque te inventei perfeito!
 
 
Densa…de tal forma que ao fixar-te de maneira obcecada tremi de felicidade, estavas de volta…finalmente comigo!
Sombria…de tal forma que ao arrebatar-te para o meu abraço de maneira possante suspirei de alívio, presente…por fim para mim!
Fria…de tal forma que ao absorver o teu cheiro de maneira sôfrega desejei fundir-me contigo, colado…enfim sós!
Obscura…de tal forma que ao escutar o teu “sem ti estou perdido” de maneira enternecida sonhei viver para sempre ali, fascinado …afinal ainda!
 
 
Ah sim…Por alguma razão a Sininho figura em tatuagem nas minhas costas, pressente esvoaçante a minha credulidade.
 
 
 
 

Inventado por alexiaa às 22:20
link do post | comentar | ler comentários (15) | favorito
Segunda-feira, 9 de Julho de 2007

Subitamente é uma palavra que me caracteriza…

 

Uma noite…subitamente…os pirilampos voltaram a existir.

 
Deixei pegares-me na mão e subi uma serra linda de morrer. Estava nevoeiro, estava frio!
Repleto da curiosidade característica daquele doce princípio aproximaste-te devagarinho e disseste: - queres um pirilampo na tua mão?
Anui com a cabeça mas sem acreditar, afinal pirilampos não existem a não ser nas lendas!
E divertida observo-te a tentar apanhar uma fantasia.
De ar vitorioso voltas para perto de mim…continuo com frio, o nevoeiro insiste em afligir-me!
- Espreita…
E perco o chão, aqueço o olhar, acelero a respiração!
Passas o pirilampo para as minhas mãos e ris com o meu ar atónito.
 
 
Ou seja…eu já não sabia se os pirilampos existiam ou se eram fábulas!
 
 
PS: Baseado em factos verídicos…há coisas que desaparecem da nossa vida durante tanto tempo, transformam-se em algo tão longínquo…que até duvidamos da veracidade delas!
Mas…existem pirilampos. São lindos, não mordem, piscam com muita energia e passearam na minha mão uma noite destas!
 
 
 

Inventado por alexiaa às 23:20
link do post | comentar | ler comentários (28) | favorito

O minimo sobre mim

Estas são as Ultimas

Aos sonhos que vão diminu...

Even...

Revivendo uma invenção!

Quase por encomenda...:))...

Tenho pena de não ter mem...

Não me ames…ambiciona-me!

(Re)Invenções antigas

Setembro 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Colocado em finais de Abril de 2006

Free Web Counter
hit Counter