Segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2006

Devidamente autorizado:)

O momento para ela não é dos mais fáceis…a amizade que nos une é firme e longa, os desabafos são frequentes e as situações variadas. Neste contexto desafiei-a a escrever as diferenças essenciais entre o marido e o amante. A resposta veio com uma breve introdução e para que conste o que transcrevo foi devidamente autorizado.

“Acho que a vida nos testa….até que ponto nós conseguimos ir….até que ponto sabemos fazer certas escolhas. Está um pouco nas nossas mãos em certos momentos perceber a vidinha que queremos.

Olha, a minha vida até tem uma certa piada:
Tenho um marido generoso, um amante forreta.
Tenho um marido calmo, o amante só o é quando lhe fazem a vontade.
Tenho um marido que me venera e se enche de orgulho por eu ser mulher dele. Aqui o amante também desfila orgulhoso (sim, eu sei que é um risco) por lhe ter calhado a ele "martelar" a brasa da empresa.
O marido não me pede satisfações, o outro pede-as sem legitimidade para tal.
O legítimo nunca me surpreende, ah as surpresas que o amante me faz pintam a minha vida de cores berrantes.
O meu marido não me bate, desconfio que o amante gostava de o fazer esporadicamente quando o sexo é mais...intenso:)
Lá em casa quem manda sou eu, o outro teima em dominar.
Tenho um marido prendado na cozinha, um amante que come desalmadamente e não sabe sequer onde fica a cozinha na casa que habita com...a legitima.
O meu marido é hipocondríaco (ontem disse que se constipou com o cheiro da acetona), o meu amante diz que é doentinho desde pequenino (acho que sente falta da comidinha da mãe).
Tenho um marido que gosta do melhor, um amante que adora promoções, brindes e borlas.
Hotéis para o marido só de 4 estrelas para cima. O outro...só falta levar-me para parques de campismo e não é por falta de o ter sugerido, eu é que tenho os meus limites:).
O estilo do maridinho é prático e desportivo. O amante está agora a sofrer umas remodelações mas ainda se apresenta de fio de ouro e botões de punho em forma de cálice, para não falar dos que são uns relogiozinhos.
Tenho um marido que adora a noite, um amante que se deita ás 23h e abre a boca 500vezes por dia.
Podia continuar mas acho que percebeste a ideia geral...quem disse que um amante é para o melhor nunca se viu sentada numa tasca a dividir a conta ou num motel a pagar o quarto onde vai estar com ele, mas aquelas cores com que ele pinta a minha vidinha enquanto que o marido vê sofregamente o canal história tornam adiável o...inadiável.”


Inventado por alexiaa às 03:23
link do post | comentar | ler comentários (6) | favorito
Quinta-feira, 23 de Fevereiro de 2006

Esta parece-me adequada para o texto:)

Esta semana aconteceu uma coisa que achei curiosa numa das minhas incursões pela noite lisboeta.
Sentada no meu banquinho da ordem que intercalo com umas idas à pista, puxo dum cigarro (sim, porque tenho este vício) e procuro o meu isqueiro que desapareceu misteriosamente de cima do balcão.
Contrariada por não o encontrar enceto uma busca frenética na minha mala que se revela em vão e já com um ar desesperado eis que deparo com alguém na outra ponta que de isqueiro em punho me faz sinal para eu me dirigir a ele, deduzo que para me dar o tão desejado lume.
Como sou uma criatura difícil:) e sinceramente não me apetecia muito deslocar-me, rejeito a oferta com um movimento de cabeça. Para minha surpresa o isqueiro acende-se e num acto improvisado dirige-se a mim rolando aceso pelo balcão…Bem, escusado será dizer que acendi o cigarro, apaguei o isqueiro e devolvi-o à precedência da mesma forma que ele me havia chegado às mãos!
O resto da noite decorreu dentro dos parâmetros normais mas confesso que aquilo não me saiu da cabeça. Dar lume é sem duvida uma das muitas tácticas usuais para meter conversa mas neste caso em particular o poder genuíno do improviso fez as minhas delícias, sempre é uma variante ás técnicas vistas e revistas que rolam noite fora e que na minha opinião subestimam o grau de exigência da mulher…ou pelo menos…desta mulher ! :))


Inventado por alexiaa às 20:36
link do post | comentar | ler comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2006

Este meu filho é um poeta:)

Aqui há uns tempos na hora de deitar o meu filho fui surpreendida com uma pergunta.Com um ar muito sério e no momento do beijo de boa noite ele olhou para mim e afirmou solenemente: Mãe, vou ter saudades tuas!
Como não fazia intenção de sair para lado nenhum foi inevitável perguntar-lhe o porquê daquela inesperada frase, ao que ele responde: Porque vou agora sonhar e não sei se vais entrar no meu sonho!
Recordo-me que na altura aquilo me sensibilizou ao ponto de comentar com um amigo que duma forma terna me disse: É um poeta!
Aquilo marcou-me, realmente este meu filho é um poeta. Quantas vezes acordamos com uma sensação de vazio e não a sabemos explicar? Quantas vezes adormecemos ocos de memórias e nem nos apercebemos?
Dizem que o inconsciente nos povoa os sonhos mas estou convicta que o mesmo inconsciente também os reduz, proíbe muitas vezes certas personagens de continuarem a fazer parte daquele mundo, inibe-nos de continuar a insistir numa fantasia para que esta não se torne num pesadelo.
Sei que esta ideia é uma das muitas que tenho um pouco rebuscadas, nem sei sequer se me estou a conseguir fazer explicar…mas há uma coisa que sei, sonho com frequência…uns dias mais, outros menos…e sim, sinto perfeitamente a profunda simplicidade do poema do meu menino!


Inventado por alexiaa às 20:49
link do post | comentar | ler comentários (11) | favorito
Quinta-feira, 16 de Fevereiro de 2006

Resposta a http://sonhadorainata.blogs.sapo.pt/

Correndo o risco de me repetir cá vai a resposta ao desafio que corre o mundo blogueiro. Este veio da Essa, uma miúda que nasceu em Julho, um mês propicio aos sonhadores:)


Quatro empregos que já tive na vida:


 

 1º O sucesso que fiz no meu primeiro emprego nunca “desgrudou” dos meus pensamentos. Regateava preços como ninguém na feira da ladra à custa dos acessórios kitsch oriundos duma mãe muito à frente. Passei grandes tardes na gelataria à custa desses acessórios.


 

2º Traumatizante: uma breve incursão pelo mundo dos idosos…meti-lhes o vicio do jogo e quando me fartei da sueca saí disfarçadamente.


 

3º Aquele que me fez perceber que levantar cedo é obrigatório…troquei o turno e comecei a fazer noites. Nunca mais adormeci sentada na impressora.


 

 4º O fantástico mundo das telecomunicações...o fim dum celibato e o inicio de outro!


 

Quatro Filmes que posso ver vezes sem conta (Alias, vejo vezes sem conta):


 

1º Um sonho de mulher, Pretty Woman (Este mês de Julho ainda vai ser o meu fim)


 

2º Sete pecados mortais (Quem é o outro que contracena com o Morgan Freeman? não ia mal o rapaz!)


 

3º Titanic (Falaram tão mal que funcionou ao contrário, adoro fungar naquele mar)


 

 4º My Fair Lady (Que saudades do S.Jorge e dos Porfírios…)


 

Quatro sítios onde já vivi:


 

1º Angola


 

2º Lisboa


 

3º Linha de Cascais


 

 4º Onde vivo agora


 

Quatro séries (?) de televisão que não perco: Perco-as todas, até as que gosto. (Vou viciar o questionário e colocar as que tentava não perder)


 

1º O sexo e a cidade (Para aprender a calçar-me com estilo)


 

 2º Sete Palmos Abaixo Da Terra (Espero que este seja o nome certo, pena a RTP 2 me ter trocado as voltas, já tinha arranjado ali um esquema para falhar o menos possível)


 

 Intervalo para anúncios: Se calhar agora estaria na altura de assinalar um canal Odisseia ou um programa de informação…


 

 3º Big Brother:)))))


 

4º Novelas Brasileiras:)))))))))


 

Quatro livros que me marcaram: (Esta não estava nas tuas respostas Essa, mas eu espreitei alguns blogs e constava do script)


 

1º Dias e horas declamando Florbela Espanca (Palavras que hoje não recordo, é o que dá fumar coisas estranhas quando somos teenagers inconsequentes)


 

2º Viagens ao Mundo Da Droga (Palavras que nunca esqueci, afinal era mais consciente do que aquilo que pensava)


 

 3º O meu pé de Laranja Lima


 

4º As Horas


 

Quatro locais onde já estive de férias: (Vou destacar os que mais gostei sem explicar porquê)


 

1º Espanha, La Manga


 

2º Brasil, nordeste


 

3º Inglaterra, Londres


 

4º Itália, Roma, Veneza e Florença


 

Quatro dos meus pratos favoritos: (Detesto esta pergunta…e não tenho imaginação para me safar dela)


 

1º Comida portuguesa


 

2º Comida africana


 

3º Comida Indiana


 

4º Comida…sei lá…Italiana?!!


 

Quatro Websites que visito diariamente:


 

1º Blogs


 

2º O mail é um web site?


 

3º O Msn e a “tagarelice” que ele me proporciona é um web site?


 

4º Pesquisa ( Muitos web sites juntos que me endoidecem diariamente)


 

Quatro sítios onde gostaria de estar agora: (Esta é a mais tramada)


 

1º Gostava muito de gostar SEMPRE de estar onde estou. Infelizmente isso nem sempre acontece mas estou a trabalhar para lá chegar.


 

2º No verão. Eu gosto é do verão…


 

3º Sempre presente nos sonhos dos meus filhos (Uma espécie de explicação está a ser elaborada no meu próximo post)


 

4º Num silêncio não constrangedor, num momento cúmplice, numa sintonia serena! Passo a corrente a: 1º e única resposta: Sou “pobrezinha” nos conhecimentos, até porque isto já me chegou atrasadíssimo, é o que dá a falta de popularidade feminina...De qualquer maneira e para quem ainda não fez é um bom exercicio de concentração:)


Inventado por alexiaa às 22:02
link do post | comentar | ler comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2006

Porque não quero que te falte nada:)))



Music Video Codes by VideoCure.com

E porque a fidelidade compensa...


Inventado por alexiaa às 21:02
link do post | comentar | ler comentários (6) | favorito
Domingo, 12 de Fevereiro de 2006

Miss Saigon

A imagem não é das melhores mas dá para ter uma ideia. No canto inferior direito era onde as personagens passavam grande parte do tempo e á frente do mesmo estava equipamento técnico. Do camarote que o coliseu fez o favor de me vender e graças ao tal equipamento…Olhem, quase que não vi os gajosJ)

 

Miss Saigão. A história duma prostituta que se apaixona por um soldado Americano, engravida dele, espera por ele e termina drasticamente com a vida em prol dum amor que só existiu na cabeça dela. O espaço não me pareceu de todo adequado exceptuando talvez o som que me pareceu excelente. O lugar que ocupei não ajudou a uma visualização perfeita mas sinceramente também não me parece que isso interferisse na minha opinião duma forma categórica. A vizinhança era péssima, um casal com os seus três lindos rebentos que não pararam de tagarelar o espectáculo inteiro. Acho muito louvável estimular as crianças para este tipo de coisas mas há que prepará-los em casa, explicar-lhes o que vão ver e avisá-los de que uma sala de espectáculos é um local de silêncio. Ao mesmo tempo é imprescindível dizer ás criancinhas que duvidas surjam durante o mesmo, elas serão esclarecidas no intervalo ou no fim, evitando assim incomodar os outros com uma enxurrada de perguntas e respostas que impedem a audição concentrada de quem está ao lado. Lugar, espaço e vizinhança apreciada, chegou a altura de falar do resto…um resto que sinceramente não me impressionou por aí além. As vozes são agradáveis apesar do tom estridente e sofrido da protagonista em alguns momentos me ter levado involuntariamente a colocar as mãos nos ouvidos. O cenário é satisfatório, tal como os adereços, mas no meio daquilo tudo… nada é extraordinário. No fim não consegui evitar algumas apreciações mais cáusticas em relação aquele amor. A frase que mais retive foi “como chegámos tão longe em apenas uma noite” e realmente é aqui que me começo a aborrecer e a achar aquilo uma grandessíssima tanga! Numa noite o soldado carente conhece a prostituta desesperada e promete-lhe amor eterno. Ela, acredita piamente naqueles votos e durante 3 anos mantém-se fiel, apesar de nunca mais saber o paradeiro dele. Ao fim de 3 anos o reencontro acontece. Ela toma então conhecimento que ele está já casado e ele dá de caras com um filho do qual nunca soube da existência (apesar de afiançar ter sonhado com o facto). Nesta altura dá-se uma reviravolta na personagem feminina que me agrada de sobremaneira. A prioridade passa a ser a promessa feita ao filho de lhe dar um futuro melhor e exige ao soldado e à sua nova mulher que levem com eles o filho para a terra das oportunidades, abdicando assim de ser uma mãe presente! Confrontada com a resistência do casal maravilha, Miss Saigão não vê alternativa (e aqui volto a chatear-me com ela) senão dar um tiro no peito (pelo menos do meu lugar pareceu o peito, mas podia sempre ter sido nos miolos) e acabar assim com uma vida de sofrimento, ilusões, expectativas e saudades… E pronto...nesta fase lá me correu a lágrima obrigatória nestes momentos mas que sequei rapidamente com meia dúzia de comentários sarcásticos, tipo”havia formas mais simples de se livrar do puto”, saí dali esganada de fome e nunca mais me lembrei da Miss e do soldadinho volúvel até este momento. Impossível terminar sem falar no parque de estacionamento. Uma confusão para entrar, um pandemónio para sair e uma duvida na minha cabecinha: porquê??? Será um conluio para obrigar as pessoas a não saírem de casa e cada vez estupidificarem mais ou é mais leviano que isso e a razão prende-se unicamente com…nada?! E já agora…como se chega tão longe numa única noite?


Inventado por alexiaa às 17:31
link do post | comentar | ler comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 8 de Fevereiro de 2006

Mais um sem titulo

Procuro soltar-me…

Era noite, caminhávamos sem rumo marcado e sem horas para voltar.
O teu braço por cima dos meus ombros davam-me um conforto ilusório, teimei sempre em não sentir aquela “friagem” que me incomodava esporadicamente.
Naquela altura achei que era da brisa nocturna e involuntariamente enrosquei-me mais ainda a ti.
Parecias sereno quando me recebeste, imaginei que aquele passeio seria um de muitos que teríamos pela frente, sonhei no calor daquele percorrer que seríamos a existência um do outro para sempre, sacudi docemente o calafrio que não me largava e…limitei-me a sorver lentamente aquela jornada sem destino.
Não me recordo qual de nós avistou o banco, não sei se te segui ou se ambos quisemos parar. Firmemente sentaste-me e baixaste-te à minha frente pegando gentilmente nas minhas mãos que gelaram no momento em que encontrei o teu olhar…
Tinhas espelhado uma agonia que me perturbou, dividi-me entre o medo e a necessidade extrema de te ajudar, vacilei entre abraçar-te avidamente até te arrancar a dor ou desesperar alucinadamente e fugir daquela noite, esfumar-me daquela derradeira escuridão!
Calaste os porquês, passaste-me os lábios pelos dedos e choramos juntos.
Fui até ti e dei-te o tal abraço voraz…é dele que me procuro desprender hoje, é daquela ultima noite onde ainda estou pendente que procuro…soltar-me!


Inventado por alexiaa às 22:08
link do post | comentar | ler comentários (3) | favorito
Sábado, 4 de Fevereiro de 2006

Despertar

Teresinha..este video é para ti!!!

Hoje acordei doce…
Normalmente tenho um acordar absolutamente execrável, daqueles que assusta pela velocidade a que me movimento e que até a mim própria me deixa muitas vezes zonza.
Não me recordo do dia em que comecei a acordar assim, não tenho sequer ideia do motivo pelo qual desatei a despertar furiosamente mas quase que podia jurar que em alguma altura me esqueci de começar o dia duma forma mais agradável.
Ultimamente tenho perdido um pouco mais de tempo a tentar perceber alguns rompantes que me acompanham há muitos anos. Tal como o acordar tenho ideia que nem sempre foi assim, que em algum momento achei mais confortável “olhar” as coisas duma forma mais cáustica, analisar tudo duma maneira mais prática e essencialmente não perder muito tempo a descobrir o que realmente me pacifica a alma!
Mas hoje acordei doce…
A execrabilidade foi substituída por uma estranha paciência, a velocidade diminuiu consideravelmente e dei por mim em frente ao espelho com uma ar cândido que para ser sincera até me preocupou.
Não sei bem o que isto significa, confesso que fiquei um pouco perturbada dado o inesperado da coisa mas acho que tem tudo a ver com a tal pacificação da alma, como se de repente o tal consolo físico e espiritual que aos pouquinhos me têm invadido decidisse romper nas minhas manhãs e matreiramente se tivesse instalado para ficar.
Foi assim que acordei hoje..amanhã logo se vê!


Inventado por alexiaa às 17:09
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 2 de Fevereiro de 2006

Somente...

De madrugada o sonho perdeu-se, procuro-te e não te encontro…desejo-te e não te sinto!
São assustadores os minutos em que deixo de acreditar, em que os meus devaneios se confundem nas minhas lágrimas, em que mais importante que sonhar contigo é não conseguir dormir por causa da angústia que sinto.
Recordo dias em particular, mas já não os cheiro…
Lembro todos os beijos, dalguns já não sinto o sabor…
Oiço a forma como me querias, já não me sinto desfalecer …
Vejo as tuas mãos no meu corpo, mas o frio não desaparece…
É só isso amor…um estar constantemente acordada, um pranto nocturno que me turva os sonhos que deixei de ter…nada mais que isso!!!


Inventado por alexiaa às 15:45
link do post | comentar | ler comentários (3) | favorito

O minimo sobre mim

Estas são as Ultimas

Aos sonhos que vão diminu...

Even...

Revivendo uma invenção!

Quase por encomenda...:))...

Tenho pena de não ter mem...

Não me ames…ambiciona-me!

(Re)Invenções antigas

Setembro 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Colocado em finais de Abril de 2006

Free Web Counter
hit Counter