Sexta-feira, 23 de Junho de 2006

Sinto-me esvoaçante…

Como uma pluma levantas-me do chão e envolves-me no teu peito.
Rodopias-me no ar e saio do meu corpo para viajar até ti…
Bolas, tenho saudades tuas!
De olhos fechados experimento a sensação única que são os teus dedos percorrerem a minha cara e pararem nos meus lábios impelindo-os delicadamente para se entreabrirem…
Caramba, sinto a tua falta!
Desabo em lágrimas quando olho para os meus braços arrepiados e sozinhos.
Dói-me o peito quando encosto a cabeça ao ombro que sem querer abandonaste…
Como uma pena pegas-me ao colo e fixas-me o olhar.
Sem palavras pedes-me que espere e sem responder pergunto-te que mais hei-de eu fazer…
Meu Deus, Isto não passa!
Como num sonho as tuas mãos divagam em ritmo alucinado pelo meu corpo e invocam desejos passados, devaneios irrepetíveis, momentos em que esquecidos de tudo planeámos entregas sublimes…
Socorro, ainda preciso de ti!
Choro silenciosamente quando chocada sinto o peso da solidão.
Em pranto caio de novo ao chão e conformada percebo o quanto duram pouco certas sensações!

Inventado por alexiaa às 22:25
link do post | comentar | favorito
10 comentários:
De Carolina Rodrigues a 24 de Junho de 2006 às 19:23
Bem, texto lindo! Foste tu que escreveste? muito bonito!
Sou novata aqui nos blogs e estou a tentar fazer amigos blogueiros, conto contigo?

um B-jao e espero a tua visita.


De Sr. Dr. Ricky a 24 de Junho de 2006 às 23:59
Olá * =) Como disseram acima, texto lindo...é pena é os sentimentos dele não serem assim muito positivos...
Sabes que se algumas sensações durassem muito tempo perderiam o seu encanto...

PS: olha vou cair em egoísmo e vou-te contar como correu a peça porque me está a apetecer =P Correu muito muito bem! Acho que gostavas se visses. Nós baseamo-nos muito mais em expressão corporal através da qual exprimimos sentimentos muito variados e correu muito bem: com uma boa dose de improviso, de trabalho, e de concentração e sobretudo de amor àquilo!!

bem, boas noites que se faz tarde. bjinhos**


De PM a 25 de Junho de 2006 às 01:35
"...os teus dedos percorrerem a minha cara..." muito macios e ao de leve, mas muito intensos!!!


De Afonsinetes a 25 de Junho de 2006 às 19:01
É curioso mas sempre que paro aqui leio atentamente os teus posts, alexiaa e deixa-me sempre um vazio para falar...e e o blog em que me apetece deixar o melhor comentário porra ! lol
Quanto ao texto está lindo, escreves bastante bem mas desculpa por não me ocorrer mais nada mas ao menos fiz um esforço por nao me limitar a anunciar novo post!
Bjão Afonsinetes


De Kristy a 26 de Junho de 2006 às 14:39
Gostei muito..os meus parabéns! Kris


De Noite a 26 de Junho de 2006 às 17:55
Podemos prolongar cada instante, fazê-lo eterno, suster a respiração, manter o silêncio, sufocar. Afinal o tempo é o que fazemos com ele.


De espumante a 26 de Junho de 2006 às 21:05
Deixo aqui um comentário morno mas não desnorteado :)
Este texto está sensual, está com o ar estouvado de quem brinca com coisa sérias e contraditório q.b., tão depressa os "dedos dele percorrem delicadamente a tua face e te entreabrem os lábios como divagam em ritmo alucinado pelo teu corpo..." mas eu acho que tu deves ser mesmo assim. A alucinação delicada. a tempestade temperada de bonança é o és e não és, o queres e não queres. É seres tu, como eu julgo que és... quem sabe?
Beijinho alucinado e delicado :)


De Alexandra a 27 de Junho de 2006 às 00:36
Só quando passamos por essas sensações e depois delas somos privados é que temos consciência da sua sublime durabilidade!!!

Obrigado pelas palavras. Espero por ti!

Beijos

Alexandra


De igara a 27 de Junho de 2006 às 11:30
Alexia, já começa a ser comum eu dizer-te o quanto gosto de te ler, mas a verdade é que me habituei a dizer que gosto cada vez que a minha Alma se sente tocada.

Há momentos que se perdem para sempre nos sentires, mas que se recordam eternamente nas memórias. Todos os momentos, enquanto se recordarem, durarão para sempre. Serão sempre marcas da nossa entrega, da nossa partilha, do nosso viver.

No entanto, mesmo que agora penses que precisas desses momento em forma de repetição, acredita que o tempo te trará outros, outros momentos que vais ansiar repetir, outros momentos de que vais sentir falta...porque é assim que tudo se passa! Superar as faltas e ansiar por novas entregas, será sempre o ponto de partida de quem vive e de quem ama.

Um beijinho mansinho e um abraço apertadinho :)
P.S. Alexia, o Diogo adorou ler-te, e mandou um beijos de borboleta para todos vocês! Obrigada!!!! :)


De oteudoceolhar a 27 de Junho de 2006 às 11:46
Pois é minha doce Alexia...é esse o mal do meu coração saudade...creio que ao ler-te pensei em mim mil e uma vezes...Já me chega a turbulência que as dores causam á minha mente e a saudade não ajuda a falta do "tu" perto de mim...É a vida né miga....bonitas falavras sentidas como devem ser. Beijo n´oteudoceolhar **


Comentar sem frete

O minimo sobre mim


ver perfil

. 11 seguidores

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Estas são as Ultimas

Aos sonhos que vão diminu...

Even...

Revivendo uma invenção!

Quase por encomenda...:))...

Tenho pena de não ter mem...

Não me ames…ambiciona-me!

Colocado em finais de Abril de 2006

Free Web Counter
hit Counter